A Reduza, plataforma de comparação de preços de Campo Grande, lançou um site para ajudar os consumidores a identificarem páginas de e-commerce fraudulentos ou pouco seguros.

O Site Confiável monitora sites de forma gratuita e em tempo real, avaliando critérios como reputação, vulnerabilidades e padrões de risco.

O índice de links suspeitos ou fraudulentos chega a 7% dentro de um recorte de mais de 100.000 buscas mensais dentro da sua plataforma segundo a Reduza.

Para Alessandro Fontes, cofundador do Site Confiável, esse problema prejudica não apenas o consumidor, mas também os e-commerces e marcas. Afinal, eles deixam de vender com a falta de percepção de segurança do público mais leigo.

Site Confiável analisa reputação de sites de e-commerce (Imagem: Reprodução/SiteConfiável)
Site Confiável analisa reputação de sites de e-commerce (Imagem: Reprodução/SiteConfiável)

Lucas Pelegrino, chefe de tecnologia da plataforma, deu sete dicas de como fazer compras de forma segura:

  1. Cuidado com sites clonados: antes de comprar, verifique sempre se está realmente comprando na URL oficial da loja. Muitos sites copiam o visual de sites de compra conhecidos com o objetivo de confundir a pessoa e levá-la ao golpe. Então, olhe sempre na barra de endereço para saber se o site está correto. Na dúvida, acesse o site diretamente e pesquise pelo produto desejado;
  2. Reputação do site: use sites como Reclame Aqui e Consumidor.gov.br para consultar a reputação da empresa, principalmente se for uma loja que você nunca comprou. Evite lojas ou sites de reputação ruim ou péssima;
  3. Tempo de registro: jamais compre de sites recém criados. Existem ferramentas gratuitas que mostram os dados de propriedade do domínio da empresa e também há quanto tempo ele foi registrado. O próprio Site Confiável verifica esse dado;
  4. Cuidado com preços muito atraentes: Se o preço estiver exageradamente barato, cuidado. É comum que sites fraudulentos ofereçam produtos populares por preços impraticáveis. Portanto, faça uma boa comparação de preços e desconfie se algo assim aparecer;
  5. Cartão de crédito é mais seguro: boleto bancário e Pix são alternativas para conseguir um bom desconto à vista, mas são arriscados por não terem mecanismos para reversão do pagamento caso seja identificado um golpe. Já os cartões conseguem fazer o estorno do pagamento nesses casos;
  6. HTTPS ou SSL não é garantia de segurança: Normalmente fala-se que o certificado SSL, isto é, uma URL que começa com “https”, significa que aquele site é seguro. Mas isso não fornece reputação à página. Hoje os sites falsos ou fraudulentos também têm esses selos;
  7. Cuidado extra no marketplace: ao comprar no OLX, Mercado Livre e afins, evite negociar diretamente com a pessoa ou empresa. Verifique a reputação do vendedor, a quantidade de vendas que ele já fez e pague usando o meio de pagamento disponível pela plataforma, pois elas garantem a intermediação entre as partes.

Com informações de: CanalTech

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.